Bagavadeguitá, Nonell & Instituto Gita, Vivekananda

Ioga do Ser Supremo (Purushottama)



Akshara Samsara. Ioga do Ser Supremo (Purushottama) Bagavadeguitá XV

Curso Jnana-ioga - Mestrado Bagavadeguitá e Filosofia da Ioga

unidade curricular Bagavadeguitá

Capítulo XV do Bagavadeguitá- A Ioga do Ser Supremo (Purushottama Ioga)

  1. Introdução e resumo do Capítulo XV- A Ioga do Ser Supremo (Purushottama Yoga)
  2. Leitura do capítulo XV A Ioga do Ser Supremo (Bagavadeguitá de Gandhi, Sivananda):
  3. Principais temas do capítulo XV:
    1. Versos 1-6: O indestrutível árvore do Samsara (Ashvattha) e o caminho para chegar a Deus
    2. Versos 7-11: Jiva (Jivatman), o espírito divino no homem
    3. Versos 12-15: Onipresença e poder do Senhor. O autor do Vedanta
    4. Versos 16-20: Purusha Kshara (perecível, corpo físico) e Akshara (Imperecível, mente). Paramatman (Ser Supremo, Ishvara Imperecível) e Purushotama
  4. Leitura da adaptação versificada deste capítulo
  5. Análise de cada verso e dos seus comentários do capítulo Purushottama Ioga (Gita Makaranadam de Swami Vidya Prakashananda)
  6. Leituras de Swami Vivekananda sobre a Ioga do Ser Supremo
  7. Exercícios do capítulo XV- Purushottama Ioga

Conteúdo Capítulo XV Ioga Ser Supremo Purushottama (Filosofia Jnana, Bagavadeguitá)

Bagavadeguitá em Espanhol Yoga del Ser Supremo (Purushottama)

Sri Krishna: Eu sou o autor da Vedanta, de Mim vem o Conhecimentoo, Bagavadeguitá XV-15


O objetivo principal do décimo quinto capítulo do Bagavadeguitá, um dos mais curtos, intitulado Purushottama Yoga no diálogo entre Sri Krishna e Arjuna, sobre a ciência da Ioga, como parte do conhecimento do Brahman no Upanixade chamado Bagavadeguitá é explicar a existência da Pessoa Suprema (Espírito) ou Purushottama, isto é, a forma suprema do Senhor, que transcende tanto o perecível (Ksharapurusha) quanto o imperecível (Aksharapurusha). Kshara em sânscrito significa “perecível” e Akshara “imperecível”.

Sri Krishna começou este capítulo explicando a Arjuna a imperecível árvore Ashvattha. Em sânscrito Shvah significa “amanhã”, e Ashvattha significa “aquilo que não durará até amanhã” (Gandhi), e o fez referindo-se ao mundo dos sentidos, uma vez que estes estão em perpétua mudança..

«O Senhor disse: Eles falam de uma Árvore Ashvattha imperecível com suas raízes acima e seus galhos abaixo. Suas folhas são os mantras védicos, e quem conhece (seu segredo), conhece os Vedas» Bagavadeguitá XV-1.

Os “mantras védicas” referem-se ao Darma. O homem “conhecedor dos Vedas” e do Darma é o verdadeiro Jnani (Conhecedor).

No entanto, uma vez que a sua “raiz de cima” é Parabrahmin (o Supremo Brahman além de qualquer descrição), é, portanto, imperecível, e este Ser Supremo é a fonte de toda a existência (Swami Sivananda). Portanto, alegoricamente refere-se ao universo como esta árvore invertida.

Para Swami Sivananda:

«É uma “Árvore” muito misteriosa e difícil de compreender, pois é o resultado do Seu poder inescrutável de Maya (ilusão); e portanto tem uma aparência maravilhosa e aparente sem ter nenhuma realidade real. Aquele que compreende plenamente a natureza desta Árvore-Samsara (ciclo de nascimento-morte) vai além de Maya. Estar apegado a ele é estar preso nele. A maneira mais segura de transcender este Samsara, ou vida mundana, é empunhar a excelente arma da não-paixão e do desapego” Swami Sivananda.

Sri Krishna então passou a explicar mais sobre esta árvore do mundo dos sentidos vista pelos não iluminados, isto é, aqueles que não têm Jnana ou Conhecimento e que acreditam que são os Gunas que agem. Eles também não entendem que a “raiz do alto” é Parabrahman

Árvore ashvattha indestrutível que tem raízes acima e galhos abaixo. Bagavadeguitá

«Para cima e para baixo estendem-se os seus ramos, nutridos pelas três Gunas. Os objetos dos sentidos são os seus rebentos; e suas raízes se ramificam para o mundo, causando as ações dos homens» Bagavadeguitá XV-2.

Por tudo isso, essas pessoas desprovidas de Conhecimento estão sempre apegadas aos objetos dos sentidos, regando a árvore com as três Gunas e permanecendo ligadas ao Carma no mundo dos homens (Gandhi)

Sri Krishna continuou a revelar a Arjuna os segredos desta árvore invertida, dizendo que ela vai além de qualquer descrição e enfatizando que somente o desapego permite ao homem derrubá-la:

«Neste mundo não se compreende a sua verdadeira forma, nem a sua finalidade, nem a sua origem, nem mesmo a sua existência. Tendo cortado este Ashvattha firmemente enraizado com o forte machado do desapego» Bagavadeguitá XV-3.

Nos próximos dois versos (4 e 5) Sri Krishna explicou como alguém vai além deste Samsara visível e atinge o estado supremo e imperecível, uma vez alcançado (Purusha, Princípio Universal eterno, indestrutível, sem forma e onipresente), não há senão retornar a este mundo mortal de dor e morte (Swami Sivananda).

«Deve-se orar: “Tomo refúgio naquele Ser Primordial do qual surgiu esta atividade eterna”, e buscar aquela Meta para a qual aqueles que a alcançaram nunca mais retornam» Bagavadeguitá XV-4.

E um fato importante, Sri Krishna afirmou que a origem do “antigo mundo da ação” está precisamente em Purusha.

O Senhor lembrou que Jiva (a Alma Suprema que habita além do eu) é uma parte Dele, e que tanto os cinco sentidos (audição, visão, tato, paladar e olfato) quanto a mente são atraídos por Prakriti.

«Apenas uma parte do Meu Eu eterno tornou-se a alma encarnada (Jiva) no mundo material; ele (Jiva) atrai (para si mesmo) com a mente como o sexto sentido, os outros cinco sentidos, permanecendo em Prakriti» Bagavadeguitá XV-7.

Nos versos seguintes, Sri Krishna afirmou que somente aqueles que possuem o verdadeiro Conhecimento verão o Senhor em si mesmos:

«Os iogues que se esforçam também são capazes de realizar a alma que reside no corpo. No entanto, aqueles cujas mentes não estão purificadas não podem saber disso, mesmo que se esforcem para fazê-lo» Bagavadeguitá XV-11.

O restante deste resumo sobre a unidade curricular “Ioga Ser Supremo” (Filosofia da Ioga) está disponível apenas para estudantes do Instituto Gita

Reconhecimento telugu Pedro Nonell tradução Bagavadeguitá


Curso Formação: Jnana-ioga (Caminho do Conhecimento) Filosofia Bagavadeguitá




(c) Instituto Gita (IGRCY)

Instagram Livro A Ioga da Sabedoria: Bagavadeguitá - Pedro Nonell Instagram

No usamos cookies
Inicio de página